Óbidos, às margens do Amazonas, enfrenta crise hídrica

Óbidos, às margens do Amazonas, enfrenta crise hídrica

A água, tão necessária em tempos de pandemia. 

Como se já não bastasse a pandemia do novo coronavirus e o recrudescimento do número de casos da doença nos últimos trinta dias, Óbidos enfrenta agora uma crise hídrica: três dias sem água nas torneiras.

Na cidade dos contrários, minha Macondo amazônica, é paradoxal que mais de 50 mil obidenses, que vivem às margens do rio Amazonas – o maior rio do mundo em extensão e volume d’água -, sofram com a falta de abastecimento de água por longos dias, justamente num período sombrio, da Covid 19, onde lavar as mãos virou ato tão rotineiro e essencial quanto escovar os dentes.

A boa notícia é que o prefeito Chico Alfaia, depois de um contato direto com o presidente da Cosanpa (Companhia de Saneamento do Pará), em Belém, recebeu agora há pouco a confirmação de que os equipamentos necessários para que a água volte a jorrar nas torneiras e chuveiros obidenses embarcam esta noite em Santarém e amanhecem em Óbidos, com as graças da Senhora Santana, nossa padroeira.
Paz e bem e um bom banho a todos

Por Ronaldo Brasiliense

FONTE: amazonianoticias.com.br

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS