Educomunicação realiza oficinais com conteúdos digitas à comunidade Quilombola

Educomunicação realiza oficinais com conteúdos digitas à comunidade Quilombola

As oficinas de Educomunicação com os jovens quilombolas atuam nas linhas do fortalecimento institucional, democratização da comunicação, empoderamento e empreendedorismo.

Divulgar as belezas naturais, demonstrar as riquezas e cultura do povo quilombola, empreender no coração da Amazônia, estes foram os objetivos da Oficina em Educomunicação realizada pela Equipe de Conservação da Amazônia, no eixo Quilombola do Programa Territórios Sustentáveis, uma iniciativa integrada que conta com o apoio financeiro da Mineração Rio do Norte (MRN) e Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid). A oficina foi realizada no domingo, 14 de abril, para jovens das comunidades quilombolas de Ariramba, Abuí Grande, Boa Vista Trombetas, Jarauacá, Jauary, Último Quilombola e membros da coordenação da Associação de Remanescentes de Quilombos do Municípios de Oriximiná (Arqmo).

Durante a oficina foram trabalhados os diversos tipos de influenciadores digitais, profissionais do marketing digital que estimulam o consumo e os bons hábitos na internet, respeitando regras e inspirando tendências. “Nós aprendemos juntos o papel fundamental de um digital influencer e como ele se porta diante do jornalismo tradicional. Esse aprendizado desperta para um novo olhar digital onde é possível vender produtos, influenciar pessoas e compartilhar as coisas boas que são nossas e que precisam ser apresentadas por nós para o mundo”, disse o jornalista e digital influencer Reginaldo Balieiro.

A coordenadora administrativa da Arqmo, Claudinete Colé, participou da oficina de Educomunicação, que nesta nova etapa abordou o marketing digital por meio dos digitais influencers. “Tivemos a oportunidade de conhecer mais uma ferramenta no ramo da tecnologia que nos deu uma amplitude maior no sentido de explorarmos cada vez mais cada detalhe e cada coisa que para nós possa dar significância, agregar valor e gerar renda”, ressaltou Claudinete Colé após citar a importância da oficina para o empreendedorismo quilombola.

As oficinas com os jovens quilombolas são pensadas dentro das linhas de fortalecimento institucional, democratização da comunicação, empoderamento e empreendedorismo, ações que estão no escopo das iniciativas do Programa Territórios Sustentáveis no eixo Quilombola. “As oficinas são pensadas colaborativamente a partir das demandas dos jovens e sempre buscamos estimular a participação deles nas ações desenvolvidas nos seus territórios como forma de fortalecer as associações, bem como despertar neles o desejo de se apropriar das redes e mídias sociais”, enfatizou o presidente da Ecam, Vasco van Roosmalen.

Por: Martha Costa – Assessora de Comunicação da Ecam.

 

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS