Municípios do Calha Norte e Tapajós recebem cilindros de oxigênio, Óbidos recebeu 20

Municípios do Calha Norte e Tapajós recebem cilindros de oxigênio, Óbidos recebeu 20

Nas primeiras horas desta terça-feira (26), chegou ao Aeroporto Internacional de Santarém, Maestro Wilson Fonseca, um total de 200 cilindros com 10 metros cúbicos (m³) de oxigênio medicinal comprimido em cada unidade. O carregamento foi a entrega da primeira parte de uma encomenda de 500 cilindros feita pelo Governo do Pará para abastecer as unidades de saúde de toda Região Oeste do Estado. O restante do pedido será entregue até a próxima sexta-feira (29). 

Todos serão encaminhados aos municípios das regiões de Integração Baixo Amazonas e Tapajós, que enfrentam dificuldades para garantir oxigênio aos pacientes de Covid-19 e em outras condições hospitalares.

Nesta terça-feira, dia 26, o governador do estado fez a entrega de cilindros de oxigênio, sendo que os o município de Óbidos foi contemplado com 20 cilindros que vão somar na retaguarda do combate à Covid-19. A Secretária de Saúde Ana Elza esteve em Santarém e recebeu os cilindros e nesta quarta- feira(27) já estarão em Óbidos.

Ao todo, dez cidades foram contempladas: Alenquer (20), Curuá (10), Juriti (40), Mojuí dos Campos (10), Monte Alegre (25), Óbidos (20), Oriximiná (20), Prainha (10), Terra Santa (15) e Belterra (10). A distribuição será feita em três lanchas rápidas fornecidas pela mineradora Alcoa Juruti e também via terrestre. O município de Faro não irá receber carregamento porque recebeu uma doação de 80 cilindros, no último sábado (23).

Alerta às prefeituras

Segundo a Agência Pará, hoje, o Pará possui capacidade de produção de oxigênio superior a 58 mil metros cúbicos diários, o que atende à totalidade das demandas dos 144 municípios, inclusive com disponibilidade para apoiar os estados do Amapá e Maranhão. Para garantir essa estabilidade, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) emitiu alerta às secretarias municipais, em especial nas regiões onde houve mudança de bandeiramento, como é o caso do Baixo Amazonas, para que fiquem atentas ao monitoramento e abastecimento dos hospitais, a fim de evitar baixas e falta de um insumo essencial à manutenção da vida.

Com a municipalização da gestão da Saúde, cada prefeitura é responsável pela manutenção de contratos e aquisição do produto para abastecimento local, cabendo à gestão estadual a compra e o abastecimento de oxigênio para hospitais estaduais.

www.obidos.net.br – Foto: Comunicação/Óbidos

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS